Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
DE SUA OPNIÃO
GOSTOU DO NOSSO SITE?
SIM
NÃO
Ver Resultados

Rating: 2.4/5 (2776 votos)




ONLINE
1








Total de visitas: 9248150
PONTO CANTADOS


Pontos Cantados.

Um dos fundamentos de vital importância para harmonização e eficácia dos trabalhos dentro de um Centro umbandista .

Os pontos cantados podem ser: Pontos de chegada e partida; Pontos de vibração; Pontos de defumação; pontos de descarrego; Pontos de fluidificação; Pontos contra demandas; Ponto de abertura e fechamento de trabalhos; Pontos de firmeza; Pontos de doutrinação; (Pontos de segurança ou proteção); Pontos de cruzamento de linhas; Pontos de cruzamento de falanges; Pontos de cruzamento de terreiro; Pontos de consagração do Congá; e outros mais, com inúmeras finalidades .

Os Pontos cantados funcionam como preces, evocações, pedidos,agradecimentos, chamada dos guias para os trabalhos.

 

 





HINO DA UMBANDA

 

 

 

                                                                Refletiu a Luz Divina

                                                               Com todo seu esplendor

                                                               Vem do Reino de Oxalá

                                                               Onde há Paz e Amor                                                                  Luz que reflete na Terra

                                                            Luz que reflete no Mar

                                                           Luz que vem lá de Aruanda

                                                            Para tudo iluminar

                                                          A Umbanda é Paz e Amor

                                                         Um mundo cheio de luz

                                                        É força que nos dá vida

                                                        E a grandeza nos conduz

                                                        Avante, filhos de fé

                                                       Como a nossa Lei não há

                                                     Levando ao mundo inteiro

                                                          A Bandeira de Oxalá

 






PONTOS DE DEFUMAÇÃO

 

 

 

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo

Jesus Cristo incensou os filhos seus

Eu incenso

Eu incenso essa casa

Pro mal sair e a felicidade entrar

Eu incenso

Eu incenso essa casa

Na fé de Oxossi, de Ogum e de Oxalá,

To incensando, to defumando a casa do Bom Jesus da Lapa.


Defuma com as ervas da Jurema

Defuma com arruda e guiné

Alecrim, benjoim e alfazema

Vamos defumar filhos de fé

 

 

 

Com licença Pai Ogum

Filhos querem se defumar

A Umbanda tem fundamento

É preciso preparar

Com arruda e guiné

Alecrim e alfazema

Defuma filhos de fé

Com as ervas da Jurema

 

 

 

 

PONTOS de BATER CABEÇA

 

(Para filhos de santo e demais médiuns)

 

Vai, vai, vai

Aos pés de Nosso Senhor

Vai bater cabeça Irmãozinho, firme no Conga

Se o Guia ,e São Jorge Veio da Beira do Mar.

Vai bater cabeça Irmãozinho, firme no Conga

 

-ABRE A PORTA Ó GENTE

 

Abre a porta ó gente,

Que aí vem Jesus;

Ele vem cansado,

Com o peso da cruz,

Vem de porta em porta,

Vem de rua em rua,

Pra salvar as almas,

Sem culpa nenhuma.


-PONTO DE PRECE à JESUS

 

Jesus Cristo é nosso pai, aruê... (bis)

É filho da Virgem Maria, aruê...

Lá do alto do calvário, aruê...

É a estrela que nos guia, aruê. (bis)

 

OXALÁ, MEU PAI...

TEM PENA DOS FILHOS, TENHA DÓ!

QUE A VOLTA DO MUNDO É GRANDE -

O PODER DE DEUS AINDA É MAIOR!

 

 

 

 

                                        
                                                                   Oxalá meu Pai,

 

Venha nos ajudar

Venha nos dar as forças meu Pai,

Abençoe este conga.

 

 

-OXALÁ MEU PAI

 

Oxalá meu Pai !

Oxalá meu Pai !

Quem é seu filho de fé,

Balanceia, mas não cai. (bis)

 

Antes não acreditava,

Apanhei pôr ser cabeçudo,

Depois que me fiz um santo,

Nada falta, tenho tudo.

 

Oxalá meu Pai,

Oxalá meu Pai,

Quem é seu filho de fé,

Balanceia, mas não cai. (bis)

 

Tomei meu banho de ervas,

Mandei benzer minha guia,

Tomei benção ao Pai da

Tribo,

Meu Axé vem da Bahia.

 

Oxalá meu Pai,

Oxalá meu Pai,

Quem é seu filho de fé,

Balanceia, mas não cai. (bis)

 

 

Oxalá nosso Redentor,

 

 

 

Desceu para nos salvar,

Chegaram os “Caboclos de Aruanda”,

Que vieram descarregar.

Mais uma pemba, mais uma guia,

Meu Pai diga o que é,

São todos “Caboclos de Aruanda”,

Que vieram salvar filhos de fé.

 

 

 

PEDIDO DE PROTEÇÃO

 

Quem vem, quem vem de lá de tão longe?

São os nossos guias que vem trabalhar.

Oh! Dai-me forças pelo Amor de Deus, meu Pai!

Oh! Dai-me forças aos trabalhos meus!

É a fé que nos guia,

É a fé que nos une,

Em Jesus e Maria (Bis)

 

 

pontos cantados de mamãe Oxum.

 

Eu vi Mamãe Oxum na cachoeira,

Sentada na beira do rio,

Colhendo lírio, lírio ê,

Colhendo lírio, lírio a,

Colhendo lírio pra enfeitar,

O seu congá. (bis)

Colhendo lírio pra enfeitar,

O seu congá. (bis)

 

No céu uma estrela vem brilhando

Nas águas o amor vem refletindo

Aieiêu Oxum

de alegria estou sorrindo

Também na cachoeira

tem a força de Oxum

Oxum é minha mãe

E meu pai é Ogum

Aieiêu Oxum

de alegria estou sorrindo


Pontos de ogum.

 

Eu tenho Sete Espadas pra me defender

Eu tenho Ogum na minha companhia

(bis)

Seu Ogum é meu Pai

Seu Ogum é meu guia

Seu Ogum é meu Pai

Vivo com Deus e a Virgem Maria

 


Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Ogum Sete Ondas

Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Ogum Beira Mar

Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Seu Matinada, Ogum Megê

Seu Sete Espadas, Ogum Megê

Olha banda aruê

Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Ogum Sete Ondas

Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Ogum Beira Mar

Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver

Ogum Iara, Ogum Megê

Seu Sete Espadas, Ogum Megê

Olha banda aruê.


Ô Jorge, ô Jorge

Vem de Aruanda

Tenha pena de seus filhos

São Jorge venceu demanda

Ogum, Ogum

Ogum meu Pai

Foi você mesmo quem disse

Filhos de Umbanda não cai

 

Ogum general de Umbanda

Humaitá jurou bandeira

Ogum general de Umbanda

Humaitá bandeira jurou

Mas como é no pé

(bis)

 

Olha Ogum Sete Espadas está no reino

Ele veio saravá

(bis)

Saravá todos seus filhos

Firma ponto no gongá

 


Ogum Megê

General de Umbanda

Em seu cavalo seu Ogum foi guerrear

Com sua espada

Com sua lança

Venceu demanda nos campos do Humaitá

Ogum Megê


São Jorge é quem está de ronda

Com sua cavalaria

Na ponta da romaria

Roga a Deus, Santa Maria

Ora vamos salvar Ogum

Ora vamos salvar Ogum

Na hora de Deus, ô meu Deus

Na hora de Deus, ô meu Deus


O seu cavalo corre

Sem ninguém vê

(bis)

Salve as sete espadas

De Ogum Megê

Salve as sete espadas

De Ogum Megê


No seu cavalo branco

Ele vem montado

Calçado de botas

E bem armado

Vinde, vinde, vinde

São Jorge é nosso protetor

Vinde, vinde, vinde

São Jorge é Nosso Salvador


Beira Mar auê Beira Mar

Beira Mar quem está de ronda é militar

Ogum já jurou bandeira

Na ponta do Humaitá

Ogum já venceu demanda

Vamos todos saravá

 


Pontos de Xangô.

 

 

 

 

Pedra rolou Xangô

Lá na pedreira

Segura a pedra meu Pai

Na cachoeira

Tenho o meu corpo fechado

Xangô é meu protetor

Firma seu ponto meu Pai

Pai de cabeça chegou

 

Xangô, ele rei da pedreira

Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda

Xangô ele é o nosso Pai

E filhos de Xangô

Bambeia mas não cai

 

Quem rola a pedra na pedreira é Xangô

Quem rola a pedra na pedreira é Xangô

Viva a coroa de Zambi

Viva o meu Pai é Xangô Agodô

E aqui neste reino ele está

 


Kekerê, Kekerê Xangô

Ele filho da cobra coral

Olha preto está trabalhando

Olha branco não está olhando

 


Xangô meu Pai

Deixa essa pedreira aí

(bis)

Umbanda tá lhe chamando

Deixa essa pedreira aí

 

Sua machado é de ouro, é de ouro

(bis)

Machadinha que corta mironga

É machadinha de Xangô

 

 


Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai

Foi o Senhor mesmo quem disse

Filho de Umbanda não cai

Por de trás daquela serra

Tem uma linda cachoeira

(bis)

É onde mora o meu Pai Xangô

Que arrebentou sete pedreiras


Xangô é dono da pedreira

Segura o meu destino até o fim

(bis)

Se algum dia eu perder

A fé no meu Senhor

Rolai essa pedreira sobre mim

Meu Pai Xangô

 


Pontos de Yemanja

 

Vamos Saravá Mãe Iemanjá,

Vamos todo mundo,

Jogar flores no mar.

É do mar, é do mar, é do mar,

Minha Mãe Sereia,

Papai risca ponto na pedra,

Mamãe risca ponto na areia. (bis)

 



CANTO A IEMANJÁ

 

Retira a jangada do mar,

Mãe d’Água mandou avisar,

Que hoje não pode pescar,

Que hoje tem festa no mar.

 

O,o,o,o,o,o,o Iemanjá,

Ela é, ela é, a Rainha do Mar. (bis)

 

A gente traz perfumes, o,o,o,o !

Pra ela se enfeitar, o,o,o,o !

A gente leva as flores,

Para jogar no mar.

No fundo do mar

Tem uma pedra

De baixo da pedra

Tem areia

Em cima da pedra

Tem uma santa

Ela é Mamãe Sereia

Mamãe Sereia

No fundo do mar tem areia

 

Iemanjá

Oh Iemanjá

Seus filhos vêm trabalhar

Salve a Sereia

Proteção da falange do mar

 

Pus-me a escrever na areia

Com conchinhas de Iemanjá

Fiz ponto de Mãe Sereia

Veio a onda desmanchar

Pus-me contar as ondas

Não pude acabar

Vou pedir ao rei das águas

Para o meu ponto firmar


Baixou, baixou

A Virgem da Conceição

Maria Imaculada

Para tirar a perturbação

Se tiveres praga de alguém

Desde já seja perdoado

Levando pro mar a dentro

Pras ondas do mar sagrado

 

E vem, e vem, e vem

E vem beirando o mar

E vem a Mãe Sereia

Pra todo mal levar

Eu sou aquela pequenina

Que mora em alto mar

Eu sou quem guia os navios

Sou a Sereia Guiomar

Nós aqui nesse Terreiro

Pedimos a sua benção

Tu és Rainha dos mares

Senhora da Conceição .

 

 


Pontos de IANSÃ

 

Eram duas ventarolas

Duas ventarolas

Que ventavam o mar

Uma era Iansã

Arerê

A outra era Iemanjá

E eparrê

 

Iansã o seu leque é de ouro

Vem do céu, Oxalá quem mandou

Para salvar os seus filhos Iansã

Na hora da agonia e da dor

 

Moça rica com sua espada luminosa

Sua espada é cravejada de brilhantes

Quimbanda auê, quimbanda auá

Santa Bárbara do Jaracutá

 

Santa Bárbara virgem

Dos cabelos louros

Ela vem descendo

Pela escada de ouro

Saravá Iansã

Dos cabelos louros

Seu luar tem prata

Sua coroa tem ouro

Ê, ê, ê, ê

Ê, ê, ê, á

Saravá Iansã

Rainha do Jacutá

 

 

 

Oh minha Santa Bárbara

 

 

 

É hora

Filhos de Umbanda, Mamãe

Sempre aqui choram

 


Pontos de Oxossi.

 

Naquela estrada de areia,

Aonde a lua clareou. (bis)

 

Onde os caboclos paravam,

Para ver a procissão,

De São Sebastião. (bis)

 

(Okê Oxossi! Okê Caboclo!)

(Salve São Sebastião!)

 

OXÓSSI

 

Quem mora na mata é Oxossi,

Oxossi é caçador,

Oxossi é caçador.

Eu vi meu pai assobiar,

Eu mandei chamar.

Vem da Aruanda ê,

Vem da Aruanda a,

Pai Pena Branco,

Vem da Aruanda,

Vem na Umbanda.

 


Oxossi mora debaixo da Gameleira,

Debaixo da Gameleira,

Salve Rompe Mato,

Salve Arranca Toco,

Salve o Tira Teima,

Ele é Caboclo,

Em qualquer lugar,

Firma seu ponto,

Sem medo de errar,

Só não me toque,

Nas palmas da Jurema,

Sem a Lei Suprema,

Do Pai Oxalá.

 

 


No tronco de uma árvore eu vi,

Eu vi amarradas suas mãos,

Era Oxossi o Rei das Matas,

O meu glorioso São Sebastião.

 

Cacique Oxossi é Rei lá no sertão,

Baixou nessa Ceara,

Com a pemba na mão.

Ensina os teus filhos a girar,

Ensina os teus filhos a girar.

 

Oxossi ê, Oxossi ê a,

Ele é o dono das matas,

Onde canta o sabiá,

Ele é o dono das matas,

Onde canta o sabiá,

Pena Branca mandou lhe chamar,

Jaguarema e Tupinambá,

Oi lá nas matas onde canta a Iracema,

Pra Oxossi e pra Jurema,

O seu ponto eu vou cantar.

 


Oxossi assobiou, oi lá no Humaitá,

Oxossi assobiou, oi lá no Humaitá,

É Ogum quem está de ronda,

Cavaleiro de Oxalá, (bis)

É Ogum quem está de ronda,

Na porta desse Congá, (bis)

Ele só da entrada,

Para os filhos de Oxalá. (bis)

 

 

 

Quem manda na mata é Oxóssi,

Oxóssi é caçador,

Oxóssi é caçador,

Eu vi meu pai assobiar,

E eu mandei chamar,

É na Aruanda é,

É na Aruanda é,

Seu Pena Branca (Verde) de Umbanda,

É na Aruanda. (bis)

 

 

 

 

OXÓSSI

 

Eu corri terra, eu corri mar,

Até que cheguei no meu país.

Oh! Viva Oxóssi na sua mata,

Que a folha da Jurema ainda não caiu.

 

OXÓSSI DO MARACATÚ

 

Eu vi chover, eu vi relampear,

Mas mesmo assim o céu ficou azul,

Firma seu ponto, na folha da Jurema,

Oxóssi é bamba no maracatu. (bis)

 

O bombardeio que se deu na aldeia,

Sua palhoça, Oxóssi quis abandonar,

Mas ele é um caboclo de demanda,

Vem de Aruanda, lá do Jurema. (bis)

 


Pontos dos Pretos-Velhos

 

Louvação aos Pretos-Velhos

Olelê meu Deus do céu que alegria

O Preto Velho não carrega soberbia

Meu Deus do céu isto aqui eu preferia

A Estrela D'Alva no ponto do meio-dia

Eu vou plantar neste quintal pé de pinheiro

Para mostrar como se quebra macumbeiro

Olelê meu Deus do céu que alegria

O Preto Velho não carrega soberbia

Meu Deus do céu isto aqui eu preferia

A Estrela D'Alva no ponto do meio-dia

Galo penacho bota macho na campana>

Neste terreiro galo velho não apanha> bis


Chora meu cativeiro

Meu cativeiro, meu cativerá>

Ora, chora> bis

Preto Velho que veio da Costa

Que veio do Congo, Luanda e Guiné

Preto Velho de Nossa Senhora

Vem no terreiro olhar filhos de fé

Chora meu cativeiro>

Meu Cativeiro, meu cativerá>

Ora, chora> bis

 


Firma ponto minha gente

Preto velho vai chegar

Ele vem de Aruanda

Ele vem pra trabalhar

Saravá o Preto Velho

Saravá, saravá, saravá,

Ele chegou no terreiro

Ele vem nos ajudar


Preto Velho tá quebrado>

De tanto trabalhar>

Preto Velho tá cansado>

De tanto curimbar> bis

Firma ponto, risca pemba>

Que é longa a caminhada>

Quem tem fé, tem tudo>

Quem não tem fé, não tem nada> bis

 

Meu pito tá apagado

Minha marafa acabou

Vou trabalhar pra suncê

Porque sou trabalhadô bis

Eu vou trabalhar

Suncê vai ganhar>

Muito bango, meu filho>

E depois vem me pagar> bis

 

 


Preto Velho que coisa é essa>

Que me deixa o corpo mole>bis

É mironga de Terreiro

Preto Velho vai tirar

Vai fazer reza bem forte

Pra mandinga afastar

Preto Velho que coisa é essa>

Que me deixa com o corpo mole>bis

Parece que é coisa feita

Preto Velho vai tirar

Mas não fique assustado

Deste mal vou lhe livrar

E depois você vai embora

Vai pra casa descansar

E depois que passar o tempo

Volte aqui me visitar

 

 

 


Pai João de Angola

 

Na Angola tem um velho

Que caminha devagar

Chama Pai João

Vamos saravar


Pontos da Tia Maria

 

Tia Maria chegou no gongá,

Galo cantou e eu vi uma coral piar.

 

Segura a pemba,

Passa a mão na ferramenta,

Pra chamar povo de Umbanda,

E vamos trabalhar. (bis)

Tira daqui,

Meu zifio, tira de lá,

No Gongá,

Olha a pemba de Pai Oxalá. (bis)

 


MUITA GENTE CHOROU

E AINDA VAI CHORAR

OUVINDO OS CONSELHOS DELA

OUVINDO OS CONSELHOS QUE DÁ

QUANDO FILHO DE UMBANDA

SE SENTA AOS PÉS DA VOVÓ

DESFIA ROSÁRIO DE LÁGRIMAS

QUE DA PENA, QUE DÁ DÓ

VOVÓ SÓ ESCUTANDO

MAS PROCURANDO ENTENDER

MAS SABE QUE FILHO DE UMBANDA

AINDA TEM MUITO QUE APRENDER

PORQUE ZAMBI É MAIOR

PORQUE ZAMBI É O CAMINHO

E QUEM TEM FÉ EM ZAMBI

NUNCA VAI FICAR SOZINHo

TUDO O QUE EU PEÇO

AO VOVÔ ELE FAZ

TAMBÉM O QUE EU PEÇO

A VOVÓ ELA FAZ

O QUE EU QUERO MAIS

O QUE EU QUERO MAIS

ELE É REI DE ARUANDA

MAS VOVÓ TAMBÉM MANDA

QUANDO OS DOIS PEDEM JUNTOS

NINGUÉM ME PASSA PRÁ TRÁS

O QUE EU QUERO MAIS

O QUE EU QUERO MAIS

Vovó tem sete saias,

Na última saia tem mironga.

Vovó pra veio de Angola,

Pra reza filhos de Umbanda. (bis)


Com seu patuá e a figa de guiné,

Vovó veio de Angola,

Pra salvar filhos de fé. (bis)

 


Cambina mamanhê

Cambina Mamãe-nhã

Oi segura a Campina que eu quero ver

Filhos de Umbanda não tem querer

Segura a Campina que eu quero ver

Filhos de Umbanda não tem querer

 

 

Tia Maria da Bahia

Ê Tia Maria, preta velha da Bahia> Refrão

Segura a barra da saia

Dança na ponta do pé

Quando pega no rosário

Traça Umbanda e Candomblé,

Tia Maria

Refrão

Rezadeira de quebranto

Mal olhado e desencanto

Feiticeira, curandeira

Dobradora de Junqueira, Tia Maria

Refrão

Ninguém segura seu ponto

Sua pemba e muita fé

E quem quiser falar com ela

Ganha figa de guiné, Tia Maria

Refrão

 

Tia Maria de Mina

Quem é a preta velha sentada no toco

Meu Senhor das Almas, me diga quem é?

É Tia Maria de Mina, meu filho

Trabalhando com fé

Trouxe arruda e guiné


Mãe Maria de Mina

Mãe Maria de Mina vem de Aruanda

Pra salvar seus filhos

Pra vencer demanda

Oh preta velha você não me engana

Amarra a saia com palha de cana

E o cigarro que ela fuma

É de palha de Aruanda

 

 

Pai Guiné

 

É o vento que balança a folha

Guiné

É o vento que balança a folha

É, é, é Pai Guiné

É o vento que balança a folha

 

 

 


Pai Benedito de Angola

 

Pai Benedito veio de Angola

Pai Benedito veio de lá

Firma a cabeça pra Pai Benedito

Vir trabalhar neste congá

 

Pai Benedito

 

Quem é aquele velhinho

Que vem no caminho

Andando devagar

Com seu cachimbo na boca

Pitando a fumaça e jogando pro ar

Ele é do cativeiro > bis

É Pai Benedito, ele é mirongueiro> bis

 


Quenguelê, Quenguelê, Xangô>

Ele é filho da cobra coral >bis

Olha o preto está trabalhando

E o branco não está, está olhando...

Chora meu cativeiro, meu cativeiro>

Meu cativerá> bis

No tempo da escravidão

Preto Velho sempre trabalhou

Sentado na sua senzala

Batia tambor, saravá pai Xangô

 


Bate tambor lá na Angola>

Bate tambor> 3 x bis

Pai Maneco bate tambor

Pai José bate tambor

Pai Joaquim bate tambor

Bate tambor lá na Angola

Bate tambor> bis

 

 

 

 

 

 

Quem é aquele velhinho

Que vem no caminho

Andando devagar

Com seu cachimbo na boca

Pitando a fumaça e jogando pro ar

Ele é do cativeiro

Ele é Preto Velho

Ele é mirongueiro

 

 

 

 


Na fazenda de Santa Rita

Nego duro de se acordar

Não trabalha porque não quer

Tem cavalo pra arriar

 


Não vou plantar café de meia

Eu vou plantar canavial

Café de meia não dá lucro Sinhá dona

Canavial, marafo dá

Amarra o boi, Preto Velho >

Na porteira do congá > bis

 

 


Eiê, eiê, eiê, eiê, eiê

Oi, eiê, eiê, eiê, eiá>

O jongo é bom de lascar>

no terreiro de dona Sinhá> bis

Preto Velho baixa na terra

Faz coisas de admirar

Planta um pé de banana

Na mesma hora ela dá

O tronco solta o cacho

Se vê amadurecer

Preto Velho tira a banana

E dá pra todos comer

Isto que quero ver>

Pai de Santo que saiba fazer> bis

Oiê, Senhor Macuta

Oiê Senhor Macutá

Ele vem de Angola

Senhor Macutá

Chegou agora, Senhor Macutá

Com a mão na pemba

Alcançou vitória,

Senhor Macutá.

 

 

Pontos do Caboclo 7 Flexas.

 

Ele atirou

Ele atirou ninguém viu

(bis)

Seu Sete Flechas é quem sabe

Aonde a flecha caiu

(bis)

Ele atirou

 

 


O dia quando nasce

Já vem rompendo aurora

Clareia uma choupana

Aonde Oxossi mora

Já clareou

Seu Sete Flechas

Numa choupana

Aonde Oxossi mora


ABERTURA E IRRADIAÇÃO

 

Quem vem, quem vem lá de tão longe?

São os nossos guias que vêm trabalhar.

Ó, dai-me forças pelo amor de Deus meu Pai!

Ó, dai-me forças para os trabalhos meus! (bis)

- ESTRELA D’ALVA

 

Estrela D’Alva é nossa guia,

Ilumina o mundo sem parar.

Ilumina a mata virgem,

Cidade de Jurema.


Vinde, vinde companheiros,

Ai de mim tão só.

Companheiros de Jurema,

Ai, de mim tem dó. (bis)

Foi lá no lago azul,

Que seu ponto ele firmou. (bis)

Ele é Oxóssi caçador,

Filho de Nosso Senhor. (bis)

Sete anjos me acompanham,

Sete estrelas me iluminam. (bis)

Salve o meu anjo da guarda,

Salve a minha estrela guia. (bis)


Ouvi o tropel do seu cavalo...

A sua espora tiniu...

Com sua espada e sua lança...

O inimigo reduziu!

Oxossi quando vem lá de Aruanda,

Trazendo forças pra seus filhos de Umbanda.

Ele é caboclo,

Ele é Flecheiro Atirador,

Na Aruanda todo Oxossi é caçador.

Jurema,

Com seu saiote de penas.

Da sua cabana suprema,

Sai e vem trabalhar...

Jurê, juremê, jurema,

Jurê, juremê, jurema,

Jurema é, filha de Tupinambá.

 

A folha que a Jurema tem,

Mata e cura também. (bis)

As águas lá da cachoeira,

Não matam a sede que a Jurema tem.

(bis)

 


PONTO DE CABOCLO

(chamada)

Seu ....... sua banda lhe chama,

Seu ....... sua banda lhe implora.

Vem meu Caboclo de Nossa Senhora,

Venha com Deus que chegou a horal

PONTO DE CABOCLO

(para confirmar)

Ajoelha Caboclo,

Você não é judeu. (bis)

Você tem um nome,

Foi Oxalá quem lhe deu.

 

PONTO DE CABOCLO

(alertando)

 

Caboclo segura o brabo,

Caboclo tu olha lá.

Tem um pau que quebra machado,

É o tronco

 


Uma estrela cor de prata,

Brilhando anunciou. (bis)

Era um Caboclo que chegava,

Vinha a mando de Nosso Senhor. (bis)

Ele é Caboclo, ele é flecheiro,

Ele é caçador.

Ele Caboclo Boiadeiro,

Ele é laçador.

 

PONTO DE CABOCLO

 

Já dizia um Caboclo,

A Umbanda é pra quem tem fé.

Ai de mim, meu bom Caboclo,

Sua força não engana ninguém.

Se o Caboclo é bom,

Bate palmas pra ele.

Se o Caboclo é bom,

Bate palmas pra ele. (bis)


Tem Caboclo no mato,

Chama, chama que ele vem.

Salve bacuro de Umbanda,

Chama, chama que ele vem.

Caboclo que vem da mata,

Da mata traz seu poder. (bis)

Arreia, Caboclo, arreia,

Arreia que eu quero ver. (bis)


CABOCLO CAÇADOR

 

Caça, caça, caçador,

Como é lindo ver caçar.

Caça, caça, caçador,

Caçador do Jurema.

Caça, caça, caçador,

Caça, caça, caçador,

Oi caça aqui, caça acolá.

 

 

Atira, Caboclo, atira,

Atira pra não errar. (bis)

Caboclo que atira na mata,

Seu Caçador, sarava o seu endá. (bis)

 

 

O meu Pai é Caçador,

Que não nega o seu natural. (bis)

Ele é Caboclo das águas claras,

E é Caboclo xetruá. (bis)

 

 


Caçador que caçou,

O seu sabiá. (bis)

Que pousava no galho,

No galho da sua macaia. (bis)

CABOCLO SETE ESTRELAS

 

Sete Estrelas é Caboclo no céu,

Sete Estrelas é Caboclo na terra. (bis)

Ele não desce do céu sem coroa,

Nem sem a sua mucannga de guerral

 

Nossa mata tem folhas,

Tem Sete Estrelas,

Que nos iluminam.

Ilumina o mundo, estrela,

Ilumina o mundo, estrela. (bis)

 

 

CABOCLO SETE FLECHAS

 

E lá vem vindo, e lá vem só,

E lá vem vindo uma força maior. (bis)

E lá vem vindo, lá vem vindo, lá vem só,

Seu Sete Flechas é uma força maior.

CABOCLO UBIRAJARA

 

Corta a língua, corta mironga,

Corta a língua de falador;

Aonde ele pisa, não há embaraço,

Ele é Ubirajara, do Peito de Aço.

 

 

Meu Deus, que penacho é aquele,

É um penacho de arara. (bis)

Quando rompe a mata virgem,

Quando rompe a mata virgem,

É o Caboclo Ubirajara. (bis)

 

 

Ele é um Caboclo valente,

Seu penacho é de penas de arara. (bis)

Ele vem pra ajudar seus filhos,

Que confiam em Seu Ubirajara. (bis)

Auê, auê, só ele passa,

Por onde eu não passo,

Auê, auê, Ubirajara do Peito de Aço. (bis)

 

 

Seu Ubirajara,

Por detrás da serra,

Seu Ubirajara,

Como vem beirando as matas,

Seu Ubirajara,

Seu saiote de penas vem da Juremá.

Pisa na Umbanda, auê,

Pisa na Umbanda, auê,

Seu Ubirajara,

Pisa na Umbanda, auê.

CABOCLO VENTANIA

 

Ogã segura o toque,

Com Deus e Virgem Maria. (bis)

Por Oxalá, meu Pai,

Saravá Seu Ventania. (bis)

 

Oi, rouxinol ventania,

Rouxinol, ventania.

Na raiz da arucáia,

Sua cobra é um segredo,

Ele mora no lajedo,

Sentado na beira-mar. (bis

Ô JUREMÊ

 

Ôoo juremê, ôoo juremá...

Sua flecha caiu serena,

Ôoo Jurema,

Dentro desse gongá. (bis)

 

Deus salve a Casa Santa,

Aonde Deus fez a morada,

Deus salve o cálice bento,

E a hóstia consagrada.

 

Oi salve São Jorge Guerreiro,

Salve São Sebastião,

Salve a Cabocla Jurema,

Que nos deu a proteção,

Ôoo Jurema.

 

Ôoo juremê, ôoo juremá...

Sua flecha caiu serena,

Ôoo Jurema,

Dentro desse gongá. (bis)

 

Sua flecha caiu serena,

Dentro deste gongá,

Salve a Cabocla Jurema,

Rainha dos Orixás.

 

Oxalá mandou,

Ele mandou buscar,

Os caboclos da Jurema,

Lá no juremá. (bis)

Pai Oxalá,

É rei do mundo inteiro,

Mandou ordem pra Jurema,

Mandar seus capangueiros.

Mandai, mandai,

Linda cabocla Jurema,

Os seus guerreiros,

Esta é a ordem suprema.

 

Caboclo firma ponto,

Na rodilha do cipó. (bis)

É meia-noite na lua,

É meio-dia no sol. (bis)
CHAMADA GERAL DE CABOCLOS

 

Tambor! Tambor!...

Vai chamar quem mora longe, tambor... (bis)

Oxóssi nas matas,

Xangô na pedreira,

Ogum no Humaitá,

Mamãe Oxum na cachoeira. (bis)

 

------------------------------------------------------------

 

CABOCLO UBIRAJARA PEITO DE AÇO

 

Corta mironga, corta senhor,

Corta língua de falador,

Pôr onde ele passa,

Não tem embaraço,

Chegou Ubirajara Peito de Aço.

O seu saiote tem pena dourada,

Seu capacete brilha na alvorada.

CABOCLO UBIRAJARA

 

Que penacho é aquele,

Que penacho é aquele,

É de arara,

Vem rompendo a mata virgem,

Vem rompendo a mata virgem,

É o Caboclo Ubirajara,

O seu saiote tem pena dourada,

Seu capacete brilha na alvorada.

OXÓSSI DE PEMBA –VENTANIA

 

Óh ! Cadê a ôro pemba,

Os meus caboclos pemba. (bis)

 

Veado no mato é corredor,

Oxóssi no mato é caçador,

Cadê o Caboclo Ventania,

Esse caboclo é o maior do dia. (bis)

CABOCLO SETE FLECHAS

 

Jurema sua flecha caiu,

E ninguém sabe e ninguém viu,

Eu vou chamar o Caboclo Sete Flechas,

Só ele sabe aonde a flecha caiu.

A flecha que subiu no ar e caiu no mar,

Onde estava Iemanjá,

A flecha caiu tão serena,

Que riscou o ponto da Cabocla Jurema.

-CABOCLO SETE FLECHAS

 

Eh rerê!...rerê, rerê, rerê, rerê, rerá! (bis)

 

Saravá seu Sete Flechas,

Ele é o Rei da Mata,

Quando seu bodoque atira...

Caramba!...

Sua flecha mata. (bis)

 

Eh rerê!...rerê, rerê, rerê, rerê, rerá! (bis)

Caboclo Sete Flechas no Conga. (bis)

-SETE FLECHAS DE UMBANDA

 

Naquela aldeia, tem sete coqueiros,

Tem sete cobras, todas a piar. (bis)

Ele se chama,

Sete Flechas de Umbanda,

Sua mironga é lá do Juremá. (bis)

 

 

 

-CABOCLO DA MATA VÍRGEM

 

Caboclo da mata virgem,

Da mata cerrada, lá da Juremá,

Quem manda na mata é Oxóssi,

Quem manda no Céu é Oxalá. (bis)

Rê, rê, rê, Caboclo,

Quero ver girar,

Quero ver Caboclo,

Na Umbanda arriar. (bis)

 

 

 

 


Pontos do Povo Baiano

 

 

 

 

Só se for agora, só se for agora

Baiano bota inimigo da porta pra fora

Só se for agora, só se for agora

Baiano bota inimigo da porta pra fora


Mas olha meus camaradas, camarada meu

Mas olha meus camaradas, camaradas meu

Sou Severino que chegou agora

Candomblé bato no Keto, Umbanda bato na Angola

Mas olha meus camaradas, camarada meu

Mas olha meus camaradas, camarada meu


Ela é da ladeira, Ladeira do Abaeté

Ela é da ladeira, Ladeira do Abaeté

Baiana saia rendada rainha do Candomblé

Baiana saia rendada rainha do Candomblé.

Com dendê no seu balaio, com padê no seu bornal!

Chegou Povo da Bahia pronto para trabalhar

Com dendê no seu balaio, com padê no seu bornal!

Chegou Povo da Bahia pronto para trabalhar.

 

Nossa Senhora da Lapa, da Lapa de Bom Jesus

Baiano quebra mandinga nos pés da Santa Cruz

Baiano quebra mandinga nos pés da Santa Cruz

Nossa Senhora da Lapa, da Lapa de Bom Jesus

Baiano quebra mandinga nos pés da Santa Cruz

Baiano quebra mandinga nos pés da Santa Cruz.


Baiano é povo bom tem mironga no Conga

Baiano é povo bom tem mironga no Conga

Mandinga ele traz feitiço no “sambá”

Mandinga ele traz feitiço no “sambá”

Samba baiano, samba sinhá

Baiano vai embora levando todos os “má”

Samba baiano, samba sinhá

Baiano vai embora levando todos os “má”.

 

Baiano chegou na aldeia na luz da lua cheia

Estremecem os corações e a fé se incendeia

Baiano chegou na aldeia na luz da lua cheia

Estremecem os corações e a fé se incendeia


Oh Bahia, Bahia do Nosso Senhor do Bonfim

Oh Bahia, pede a Oxalá por mim.

Baiana da saia rendada, tabuleiro de acarajé

Baiana tá no terreiro, sambando no Candomblé.

Quando eu vim da Bahia estrada eu não via

Quando eu vim da Bahia estrada eu não via

Cada encruza que eu passava uma vela eu acendia.

Cada encruza que eu passava uma vela eu acendia.

Quando eu vim da Bahia estrada eu não via

Quando eu vim da Bahia estrada eu não via

Cada encruza que eu passava uma vela eu acendia.

Cada encruza que eu passava uma vela eu acendia.

Na Bahia tenho eu vou mandar buscar

Lampião de vidro ô sinhá dona para clarear.

Na Bahia tem eu vou mandar buscar

Lampião de vidro ô sinhá dona para clarear.


Quando eu vim lá da Bahia eu trouxe meu patuá

Terreiro que tem mironga, Baiano quer mirongar

Bahia ê ê ê Bahia ê ê á Bahia ê ê ê Bahia ê ê á

Quando eu vim lá da Bahia eu trouxe meu patuá

Terreiro que tem mironga, Baiano quer mirongar

Bahia ê ê ê Bahia ê ê á Bahia ê ê ê Bahia ê ê á

 

BOIADEIRO

 

Ô BOA NOITE

PRA QUEM É DE BOA NOITE

BOM DIA

PRA QUEM É DE BOM DIA

ABENÇÃO MEU PAI ABENÇÃO

SEU BOIADEIRO

É O REI DA ALEGRIA


DEUS TE SALVE

ESTA CASA SANTA

DEUS TE SALVE

ESPADA DE GUERREIRO

BANDEIRA BRANCA

IÇADA EM PAU FORTE

TRAGO NO PEITO

A ESTRELA DO NORTE

BOIADEIRO

 

SEU BOIADEIRO POR AQUI CHOVEU (2X)

CHOVEU CHOVEU ÁGUA ROLOU

FOI TANTA ÁGUA

QUE SEU BOI NADOU

BOIADEIRO

 

PEDRINHA MIUDINHA NA ARUANDA Ê

LAJEDO TÃO GRANDE

TÃO GRANDE NA ARUANDA Ê

PEDRINHA DE UM LADO

PEDRINHA DE OUTRO

PEDRINHA DE ARUANDA Ê

QUEM É MAIOR É DEUS DO CÉU

JESUS, MARIA, JOSÉ

BOIADEIRO

 

E LÁ VEM VINDO

E LÁ VEM SÓ

E LÁ VEM VINDO

A FORÇA MAIOR

BOIADEIRO

 

SEU BOIADEIRO JOGA O LAÇO

NO TATUIEPÉ

SE NÃO LAÇAR PELA CABEÇA

LAÇA PELO PÉ.

 

 

BOIADEIRO

 

A SUA BOIADA É DE 31

A SUA BOIADA É DE 31

EU JÁ CONTEI UNS 30

(BOIADEIRO)

ESTÁ FALTANDO UM

BOIADEIRO

 

A MENINA DO SOBRADO

ME CHAMOU PRÁ SEU CRIADO

EU MANDEI DIZER A ELA

QUE TOU VAQUEJANDO

O MEU GADO

AÊ BOIADEIRO, ELE GOSTA

DE UM SAMBA RASGADO

BOIADEIRO

 

EU TENHO MEU CHAPEU DE COURO

EU TENHO A MINHA GUIADA

EU TENHO O MEU LAÇO VERMELHO

PARA TOCAR A MINHA VAQUEJADA

BOIADEIRO

 

GETRUÊ, GETRUÁ

CORDA DE LAÇAR SEU BOI

GETRUÊ, GETRUÁ

CORDA DE SEU BOI LAÇAR

BOIADEIRO

 

QUEM VEM LÁ, É ELE

QUEM VEM LÁ, É ELE

QUEM VEM LÁ, É ELE

BOIADEIRO É

7 E 7 SÃO 14

3 VEZES 7, 21

JÁ CONTEI MINHA BOIADA

TÁ FALTANDO UM


BOIADEIRO

 

CHAMARAM-ME DE BOIADEIRO

EU NÃO SOU BOIADEIRO NÃO

EU SOU TOCADOR DE GADO

BOIADEIRO É O MEU PATRÃO


BOIADEIRO

 

ABALEI MINHA ROSEIRA

PARA TIRAR DO CAMINHO

NA ALDEIA DE BOIADEIRO

NÃO SE PISA EM ESPINHO

BOIADEIRO

 

SOU BRASILEIRO, SOU BRASILEIRO

SOU BRASILEIRO, SOU BRASILEIRO

SOU BRASILEIRO IMPERADOR

MAS EU SOU FILHO DO BRASIL

SOU BRASILEIRO, É O QUE EU SOU

MEU PAI É BRASILEIRO

MINHA MÃE É BRASILEIRA

MEU PAI É BRASILEIRO

MINHA MÃE É BRASILEIRA

BRASILEIRO IMPERADOR

(SOU BRASILEIRO)

EU SOU DO BRASIL

(SOU BRASILEIRO)

BRASILEIRO É O QUE EU SOU

BOIADEIRO

 

SOU EU, SOU EU

SOU EU, MACULELÊ, SOU EU

SOU EU, MACULELÊ, SOU EU

BOIADEIRO

 

MANO MEU, MANO MEU

ONDE ESTÁ QUE AINDA NÃO VEIO

AH MANO MEU

NUNCA FIZ MAL A NINGUÉM

BOIADEIRO (SUBIDA)

 

ADEUS ROLINHA

BATEU COM O PAPO NA AREIA

SEU BOIDADEIRO VAI EMBORA

ELE VAI PRÁ SUA ALDEIA

BOIADEIRO (SUBIDA)

 

SEU BOIADEIRO

VAI PRÁ SUA CIDADE

LÁ NO JUREMÁ

DEIXA UM ABRAÇO

PROS SEUS FILHOS

ELE VAI CORRER GIRA

ELE VAI GIRAr

 

 

 

PONTOS DE COSME E DAMIÃO (Linha das Crianças)

 

Cosme e Damião,

Damião cadê Doun ?

Doun foi passear lá no cavalo de Ogum

Cosme e Damião,

Damião cadê Doun ?

Doun foi passear lá no cavalo de Ogum

Dois dois sereias do mar

Dois dois mamãe Iemanjá

Dois dois sereias do mar

Dois dois mamãe Iemanjá

 

 

Cosme e Damião

 

O que é que eu vou comer ?

- Peixe da maré

- Com azeite de dendê !

 

 

Fui no jardim colher as rosas

 

A vovózinha deu-me a rosa mais formosa

Fui no jardim colher as rosas

A vovózinha deu-me a rosa mais formosa

Cosme e Damião, ÔOOOh Doun

Crispim , Crispiniano

São os filhos de Ogum

Cosme e Damião, ÔOOOh Doun

Crispim , Crispiniano

São os filhos de Ogum

 

 

 

CHAMADA DE ZÉ PELINTRA

 

Saravá seu Zé Pelintra,

Moço do chapéu virado,

Na direita ele é maneiro,

Na esquerda ele é pesado.(bis)

Cuidado meu camarada,

Não meta a mão em cambucá,

Quem mexer com Zé Pelintra,

Vai ficar lelé da cuca.(bis)

Tenho que me orgulhar,

Pra me livrar de mandinga.

Carrego o meu patuá.(bis)

PTO VIBRAÇÃO DE CATIMBÓ

PARA DESMACHAR FEITIÇO

 

Meu galo preto

Do pé amarelo,

Canta meu galo

Só faz o que eu quero...(bis)

 

Na direita tenho Deus,

Porque Nele tenho fé,

Na esquerda tenho meu galo,

Que desmancha tudo com o pé.

Meu galo preto

Visite:   Bazzoa | Yonnza | Nloja | Comunidades | Nation2